Archives

Arte, Viagem

omi-cor2Caminhando por Miami, pela extensão da 2nd Avenue, é fácil perceber o poder do colorido. Exemplo de revitalização e valorização de um antigo bairro “esquecido” de Miami continental, o Wynwood Art Dstrict é hoje um dos pontos turísticos obrigatórios de quem visita a cidade. Dando contrastes extravagantes a dezenas de paredes em torno da 2528 NW com a 2nd Ave, artistas como Barry McGee, Ron English e os brasileiros Kobra e Os Gêmeos, fazem a região transpirar arte de rua, aliando antigos espaços a modernos restaurantes (super inspiradores) e galerias. Para quem curte eventos diferentes, todo segundo sábado de cada mês acontece a Gallery Night Art Walk, quando as galerias se reúnem para um show de exposição de arte durante a noite.

Por causa da arte, em Wynwood, o mais importante é a cor. A cor que reflete a intenção de cada artista, a cor que reflete a importância da renovação, a cor que propõe mais alegria a um despretensioso passeio.

Culinária


Quantas vezes já não fomos a um lugar por causa de sua propaganda? Quantas vezes fomos maltratados em um estabelecimento comercial “do momento”? Quantas vezes já não ficamos decepcionados em um restaurante, porque o prato não veio conforme mostrava a foto do cardápio?

Ainda bem que existem bons exemplos a compartilhar.

Thai, localizado em frente ao Casa Grande Hotel Resort e Spa, no Guarujá, promete e cumpre.

Nesse restaurante de culinária tailandesa bem localizado no litoral sul de São Paulo, o mais importante é a semelhança. Tudo que o moderno cardápio – apresentado na tela de um tablet – anuncia, os bem
treinados garçons trazem à sua mesa, exatamente feitos, arrumados e decorados como nas fotos. Seja um delicioso arroz de jasmim, interessantes bolinhos de carne com leite de côco, ou um surpreendente sorvete de chá-verde com manga. Para arrematar, a vista para o mar ajuda a criar o clima perfeito para um jantar romântico e inesquecível.

Culinária

IMG_20141101_120403590

Uma casa antiga quase escondida no bairro de Pinheiros.  Essa é a primeira impressão do restaurante Olea, em São Paulo. Mas basta adentrar a porta e um amplo jardim se abre à frente, oferecendo diferentes ambientes à escolha para se acomodar, e todos eles com vista para a natureza. Com decoração rústica, o premiado restaurante serve alimentos orgânicos e naturais, trabalhados em pratos de inspiração italiana e culinária saudável.

A vitrine de frutas, legumes, verduras e mozzarellas é seu ponto forte, e lá o cliente pode escolher à vontade os ingredientes e montar uma salada personalizada, que acompanha um grelhado.

No Olea, o mais importante é o arranjo. Da construção com a decoração,  da conveniência com a saúde, dos aromas e dos sabores. E o arranjo do prato com o humor fica por conta do cliente.

 

Serviço: Olea Mozzarella Bar

Geral

Tomar um chá, uma água aromatizada ou um café. Comer um aperitivo salgado ou uma sobremesa. Encontrar amigos para um almoço ou para um charmoso brunch. Seja qual for o programa, a escolha do ambiente é essencial. E Campinas conta atualmente com um exemplo de que o mais importante é o lugar.

Café Container reúne uma diversidade de opções em um ambiente agradável e diferente de todos os cafés da cidade.

Como dizia a matéria de uma revista quando tirei a foto desse post, “Lugar não falta”, mas eu acredito que vale a pena conhecer este.

Culinária

Para os amantes da culinária árabe, um dos pratos preferidos é sempre o quibe. Em sua versão assada, é mais saudável e reúne porções de carboidrato e proteína de uma forma interessante e saborosa.

Sempre que faço essa receita para amigos e familiares, é certeza de sucesso. Mas o segredo não está na mistura de carne bovina com carne suína, ou no recheio de queijo. O mais importante é o limão. Ele dá a acidez necessária para que o prato fique leve e ainda mais gostoso. Segue a receita que sempre uso.

Ingredientes:

  • 800g de carne bovina moída
  • 200g de carne suína moída
  • 500g de trigo para quibe
  • 1 tomate sem semente picadinho
  • 2 cebolas picadinhas
  • 3 dentes de alho picadinhos
  • 2 colheres de azeite de oliva
  • 1 copo de requeijão ou catupiry
  • suco de ½ limão
  • hortelã a gosto
  • sal a gosto
  • pimenta síria ou molho tahine a gosto

Modo de preparo:

Primeiro, é preciso deixar o trigo para quibe de molho por aproximadamente 3 horas em água fria. Se estou com pressa, coloco água fervente e em 40 minutos o trigo está pronto para ser usado. Enquanto o trigo hidrata, refogue cerca de 1/3 da carne com um pouco da cebola e do alho, e reserve. Depois de escorrer bem o trigo, misture a ele o restante da carne e os demais ingredientes, menos o requeijão ou catupiry. Regue o fundo de uma travessa de vidro com um pouco de azeite e estenda metade da mistura crua no fundo, subindo um pouco pelas laterais. Coloque como recheio a carne refogada e o requeijão ou catupiry, e depois cubra com a outra metade da mistura crua. Para finalizar, regue com mais um pouco de azeite. Cubra a travessa com papel alumínio e asse em forno médio por cerca de 50 minutos, tirando o papel alumínio nos 15 minutos finais.

Quem não pode comer queijo, pode fazer a receita da mesma forma, excluindo o requeijão. O essencial é o limão, e o carinho no preparo.