Archives

Geral

Desejos, aspirações, sonhos. É mais fácil nos sentirmos animados na vida, quando existe um objetivo a ser alcançado, uma meta a ser cumprida. Diferente de planejamentos de negócios, onde os objetivos devem ser claros, mensuráveis e atingíveis, na vida real nem sempre é possível ter essa clareza. Seria realmente um sonho querer algo que está muito distante de se conseguir? Seria ingenuidade esperar por uma mudança que seja improvável de acontecer? Seria utopia querer viver de uma forma diferente da atual realidade?

Planos concretos à parte, quando falamos de motivação, o mais importante é caminhar. Traçar um caminho original pode ser mais difícil e exigir ainda mais motivação, mas a recompensa certamente é maior e melhor. Já disse Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio, “Para que serve a utopia, se é impossível de alcançá-la? Para caminhar.” Então, caminhemos, seja qual for o destino.

Geral

 

Há uma frase que gosto muito, de autor desconhecido: A mesma água fervente que amolece a batata, endurece o ovo. Assim é com as pessoas. Não são as circunstâncias que nos mudam, mas sim o que temos por dentro.

Parece mote de auto-ajuda (e na verdade pode ser mesmo), mas conhecer a si mesmo e tirar vantagem de suas peculiaridades e pontos fortes é a lógica mais fácil de se entender – embora possa ser uma lógica demorada de se aceitar.

Culpar a falta disso, a abundância daquilo, a dificuldade daquilo outro, não nos deixa mais próximos da mudança. Porém, reconhecer os desafios e considerá-los parte do processo é a grande atitude rumo ao sucesso.

Ninguém é perfeito (não adianta, não é!), mas por que não se desenvolver e se tornar a melhor versão de si mesmo?

O mais importante é ser você mesmo. Aproveitar-se do fato de que cada ser humano é único, diferente, singular, e focar na originalidade é um dos grandes segredos para se alcançar a auto-realização, a felicidade interna, os objetivos mais íntimos na vida.

Geral

Um ano se encerra, e é hora de fazer o balanço.

2015  no mundo foi um ano muito importante, desafiador, um ano de conflitos, um ano “pesado”. Muitos avanços tecnológicos e muita falta de humanidade.

Quantas vidas foram atingidas por crescimento, alegrias, mas também violência, intolerância, descaso, desonestidade.

Quantos sonhos foram alcançados e outros tantos adiados, paralisados ou simplesmente destruídos.

E quanta esperança ainda nos resta?

Pessoalmente, foi um ano muito significativo para mim. Mas acredito que a responsabilidade vem junto com as conquistas, e apesar disso não as desvalorizar, a reflexão é fundamental. Pensar é fundamental. Entender é imprescindível. Só assim se evolui.

O ano não acontece, somos nós quem o fazemos. Então nesse novo que se inicia, o mais importante é não desejar que ele seja de um jeito ou de outro, mas sim nós, todos nós, o fazermos melhor. Com mais integridade, mais respeito, mais dedicação, mais força e mais amor.

Um feliz 2016 a todo o mundo!

Geral

Já disse Machado de Assis, “Quem troca pães fica com um único pão. Quem troca ideias fica com as duas.”

Com a quantidade de informações sendo trocadas hoje em dia, com a velocidade com que novas descobertas são feitas e divulgadas, e sabendo-se que no universo tudo se transforma, não há sentido em negar o compartilhamento. O único ponto negativo nessa prática é que devemos subentender que todos prezam pelo bom senso, entre outros valores importantes para se viver em sociedade.

Um chefe que tem medo de ensinar seu subordinado, também não aprende. Uma pessoa que enriquece e não entende o valor de troca do dinheiro, não permanece rica por muito tempo. Uma boa ideia que não é partilhada logo se torna uma frustrada lembrança.

Em sociedade, o mais importante é somar. Somar conhecimento, multiplicar aprendizados, dividir conquistas e subtrair ilusões.

Culinária

Cozinhar é para quem talento. Será?

Existe arte na culinária, mas existe principalmente paciência, empenho, equilíbrio e estratégia. É preciso saber a ordem das coisas, ter vontade de ver o prato pronto, sem pressa de terminar mas com controle do tempo.

Ao cozinhar, é imprescindível a atenção aos ingredientes, ao tempo, aos detalhes de preparo e ao capricho da arrumação. Mas o mais importante é quem vai comer, afinal de que adianta um prato bonito e cheiroso se ninguém pode dizer que é gostoso?

Geral

O mundo gira, as coisas mudam, se transformam, buscando sempre um equilíbrio – ainda que constantemente mal compreendido pela raça humana. Quando algo acaba, imediatamente outro começa. A natureza é sábia.

Na chuva, o mais importante é contemplar o momento, respeitar sua força. Admirar a grandiosidade do fenômeno, a abundância de elementos, a inevitabilidade dos processos que movem o mundo.

Palmas para o fim e para o início de um ciclo.

Geral

Existem momentos na vida que nos inspiram a criar. Pessoas que nos inspiram a desejar. Lugares que nos inspiram a viver. Um dos segredos da vida é saber aproveitar esses momentos.

Um livro que leva paixão ao leitor. Um filme que esclarece questões ao espectador. Uma cena que libera instintos. Uma conversa que desperta a intuição. Tudo é válido.

Fernando Pessoa tinha toda a razão do mundo ao escrever que “tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

Para viver, e não somente existir, o mais importante é sentir. O momento, as pessoas, o mundo. Independente de crença, condição ou situação. Simplesmente prestar atenção e elevar a alma. Ah, e agir.

Geral

Passado, presente e futuro. Três momentos que parecem independentes, mas que são, acima de tudo, conectados. O presente é o passado do futuro, e o futuro não existe sem presente. Dito assim, parece óbvio ou ligeiramente confuso, mas a vida é feita desse jogo de instantes, do qual as escolhas de cada um dependem, e no qual elas inevitavelmente interferem.

Em relação às decisões da vida, o mais importante é o desapego. Principalmente ao passado. O que já foi vira experiência, vira vivência, vira história. E especialmente quando falamos em seguir em frente, não existe outra solução se não usar o presente para deixar que o passado cumpra seu dever de ter existido, abrindo espaço para que o futuro chegue e tome conta da história, tornando-se um presente.

Cinema

Pode uma canção salvar sua vida?

De forma singela, o filme apresenta seus personagens desolados, desanimados com a condição em que se encontram, desacreditados pela vida e em uma Nova York sem glamour, mas verdadeiramente charmosa. Aos poucos, o espectador descobre os caminhos que levaram cada um deles aos desafios que se apresentam, sempre embalados por tocantes canções. O destino de cada um passa a ser desenhado através de escolhas triviais mas de grande significância. O desfecho presenteia os mais pessimistas com uma injeção de esperança.

Em Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again), o mais importante é a sinceridade com que toda a história se desenrola e com a qual os personagens levam suas trajetórias de vida, usando de uma simples mas difícil transparência de sentimentos em meio à selva de interesses e superficialidades que vivemos hoje.

Viagem

Imagine um lugar que reverencia os melhores ingredientes da cozinha italiana. Agora acrescente um mercado, uma lanchonete, uma feirinha de verduras, um açougue, uma peixaria, uma loja de decoração, uma sorveteria e um disputado restaurante na cobertura. Se estiver em Nova York, esse lugar é o Eataly.

Respeitando o conceito de alta cozinha, seu fundador, o italiano Oscar Farinetti, criou o conceito desse lugar que valoriza boas matérias-primas em detrimento de sabores mascarados ou muito alterados na preparação de alimentos.

Com preços não muito baixos, mas justos pela qualidade artesanal, o local se assemelha a uma grande loja de departamentos  mas com visual de uma praça italiana, e só vende ingredientes que vêm da Itália (no caso dos industrializados) ou são produzidos e processados de acordo com as tradições de lá. Por isso, no Eataly o mais importante é a experiência. Seja a de degustar uma elegante tábua de frios tomando uma taça de vinho em meio à “loucura” da praça térrea, a de escolher a sobremesa mais bonita nas vitrines repletas de verdadeiras obras-de-arte, ou a de deliciar um dos elaborados pratos do restaurante da cobertura, apreciando a luz do pôr-do-sol de Manhattan.